sábado, 31 de maio de 2014

Brisa Tardiê ✿

Desde que Brisa descobriu que sofre de felicidade, trocou a cor do batom, do blush e deixou que flores posassem em seus cabelos. Entendeu que sentir-se só nem sempre é sinônimo de solidão, mas de solitude. Sentou sobre rendas e uma força invisível a habitou. Uma força cor de sangue, vermelha. O frio lá fora passou, já não me sinto mais só. Boa noite, Brisa! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário